APERFEIÇOANDO

Este site (assim como seus autores) está em fase de constante aperfeiçoamento. Desculpe qualquer tipo de transtorno.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

TRABALHO E PESQUISA CIENTÍFICA – ALGUMAS DEFINIÇÕES

TRABALHO E PESQUISA CIENTÍFICA – ALGUMAS DEFINIÇÕES



A Ciência é o resultado de uma das características mais essenciais do ser humano: a necessidade de conhecer. Já nas civilizações remotas, nossos ancestrais ansiavam por construir uma vida melhor, mediante o conhecimento.
A busca por este ideal é a raiz da pesquisa científica.
Segundo Ruiz (1996:48), pesquisa científica é a “realização concreta de uma investigação planejada, desenvolvida e redigida de acordo com as normas da metodologia consagrada pela ciência”. A pesquisa científica é realizada para gerar um novo conhecimento ou para confirmar/refutar algum conhecimento já existente. Clark e Castro (2003:67) consideram que a pesquisa é “basicamente um processo de aprendizagem tanto do indivíduo que a realiza quanto da sociedade na qual esta se desenvolve”.
Para Lakatos & Marconi (2006:48) a realização da pesquisa científica é um procedimento formal, com método de pensamento reflexivo, que requer um tratamento científico e se constitui no caminho para conhecer a realidade ou para descobrir verdades parciais.
Em síntese, pesquisa científica é o conjunto de estudos que objetivam a solução de uma dúvida, problema, utilizando-se de métodos e técnicas específicas. E para o curso de graduação e pós-graduação lato sensu da Faculdade Albert Einstein, a pesquisa científica, por excelência, é o trabalho de final de curso, também denominada TCC – Trabalho de Conclusão de Curso.
    1. Tipo de Pesquisa
Para Gil (2002) pode-se definir pesquisa como o procedimento racional e sistemático que tem como objetivo proporcionar respostas aos problemas que são propostos... A pesquisa é desenvolvida mediante o concurso dos conhecimentos disponíveis e a utilização cuidadosa de métodos, técnicas e outros procedimentos científicos.

      1. Pesquisa Bibliográfica


Essa pesquisa é considerada o primeiro passo de qualquer pesquisa científica, sendo também a mais utilizada em trabalhos de conclusão de curso de graduação e pós-graduação lato sensu (monografia), pois recolhe e seleciona conhecimentos prévios e informações acerca de um problema ou hipótese, já organizados e trabalhados por outro autor, colocando o pesquisador em contato com materiais e informações que já foram escritos anteriormente sobre determinado assunto.
Exemplo de uma pesquisa bibliográfica:
Problema de pesquisa: Quais são as implicações da construção de jogos e brincadeiras na aprendizagem da leitura e da escrita de alunos da 1a série do Ensino Fundamental?
Objetivo do estudo: Avaliar se a construção de jogos, nas aulas de Educação Física, interfere na aprendizagem da leitura e da escrita de alunos da la série do Ensino Fundamental.

Pesquisa de Campo

Consiste na observação, direta e ao vivo, de coisas, comportamento de pessoas, circunstância em que ocorrem certos fatos; por esse motivo a natureza das fontes determina a maneira de obter os dados.
As técnicas usualmente utilizadas no trabalho de campo para a coleta de material para a elaboração de monografias de TCC são: a pesquisa, a entrevista, a gravação, a filmagem, a fotografia, etc.; de acordo com o tipo de TCC que será realizado, pode-se utilizar uma destas técnicas ou variadas ao mesmo tempo.
Por sua vez, pode-se também afirmar que os estudos para um TCC baseado em pesquisa de campo são:
A análise sistemática dos problemas na realidade, com o propósito de descrevê-los, interpretá-los, entender sua natureza e fatores constituintes, explicar suas causas e efeitos, ou predizer sua ocorrência, fazendo uso de métodos característicos de qualquer dos paradigmas ou enfoques de investigação conhecidos no desenvolvimento.
Os dados de interesse para o futuro TCC são recolhidos de forma direta da realidade neste sentido se trata de investigações a partir de dados originais ou primários. No entanto, aceitam-se também estudo sobre dados amostrais não recolhidos pelo estudante, autor da monografia de TCC, sempre e quando se utilizem os registros originais com os dados não agregados; ou quando se trate de estudos que impliquem na construção ou uso de séries históricas, e, em geral, a recolhida e organização de dados publicados para sua análise mediante procedimentos estatísticos, modelos matemáticos, econométricos ou de outro tipo.
Caráter da pesquisa de campo: pode ser exploratória, descritivo, interpretativo, reflexivo-crítico, explicativo ou de avaliação.
Âmbito da pesquisa de campo: quanto ao número de unidades de dados, deve justificar-se em função dos objetivos do TCC ou a monografia, e a possibilidade real que tem o estudante de coletar a informação no tempo exigido para seu desenvolvimento e apresentação.
Dentre os tipos de pesquisa de campo mais comuns em monografias de TCC temos:
1. Experimental, quase experimental ou ex pós-facto.
2. Enquete, painel, estudo de caso ou estudo amostral.
3. Investigação-ação, investigação sobre a prática, investigação participante; estudos etnográficos, etnometodológicos, holísticos, biográficos, fenomenológicos, de análise sistemática, de análise de conteúdo e qualquer outro desenho de investigação dentro dos enfoques qualitativo, interpretativo, de crítica social ou outro enfoque emergentes.
4. Estudos de custo-benefício e de custo-efetividade
5. Prova de modelos estatísticos, econométricos e matemáticos em geral.
6. Estudos lingüísticos, estudos geográficos e quaisquer outros próprios do campo da especialidade.



2. TCC – DEFINIÇÃO


D
e acordo com a NBR 14724 o Trabalho de Conclusão de Curso - TCC é um
documento que representa o resultado de estudo, devendo expressar conhecimento do assunto escolhido, que deve ser obrigatoriamente emanado da disciplina, módulo, estudo independente, curso, programa e outros ministrados. Deve ser feito sob a coordenação de um orientador. (ABNT. 2007)
Realização máxima da Interdisciplinaridade, o Trabalho de Conclusão de Curso – TCC é o esforço individual do estudante em realizar uma pesquisa científica ao final de seu curso. O TCC representa o coroamento do curso e demonstra a capacidade que o acadêmico adquiriu de interagir conhecimentos e desenvolver o pensamento sistêmico a partir da realização de uma pesquisa científica.
Apresentado no último semestre ou módulo do curso, esse Trabalho Final caracteriza a atividade acadêmica de sistematização dos conhecimentos obtidos no decorrer do curso.
O TCC é componente que integra a estrutura curricular dos cursos superiores da ALBERT EINSTEIN. E, ao integrar a estrutura curricular de um curso, esse Trabalho assume caráter obrigatório, devendo ser cumprido pelo aluno, como condição para a integralização do seu curso.
Sob o acompanhamento, orientação e avaliação docente, o TCC compreende a elaboração uma monografia para os cursos de graduação e pós-graduação e um trabalho teórico-prático para os cursos tecnólogos.
Para o estudante, a apresentação de seu TCC perante uma Banca Examinadora significa um momento de desenvolver sua competência discursiva, de exercitar sua capacidade argumentativa e defender sua perspectiva. Ao mesmo tempo, permite esclarecer elementos do trabalho que podem ter ficado frágeis sob a ótica da consistência técnico-científica. Há que se destacar, ainda, que tal rito formal engrandece e qualifica a formação do estudante, além de clarificar e fomentar o desejo pela pesquisa e estudo ao longo de sua vida profissional e acadêmica.

3. MONOGRAFIA – DEFINIÇÃO


Monografia é uma dissertação sobre um assunto escolhido. Segundo França e Vasconcellos (2007:33), a monografia constitui o “produto de leituras, observações, reflexões e críticas desenvolvidas nos cursos de graduação e pós-graduação”. Como o nome indica, “monografia é a abordagem de um tema único (monos = um e graphein = escrever)” (Ibidem).
No dicionário Aurélio, encontramos a explicação de que monografia é um estudo minucioso a fim de esgotar determinado tema relativamente restrito.
Para Marconi e Lakatos (1990, apud FRANÇA e VASCONCELLOS, 2007:33), monografia é
um estudo sobre um tema específico ou particular, com suficiente valor representativo e que obedece a rigorosa metodologia. Investiga determinado assunto, não só em profundidade, mas em todos os seus ângulos e aspectos [...] Contribuição importante, original e pessoal para a ciência.

Por ser um trabalho de cunho científico, a monografia apresenta a mesma estrutura das dissertações e teses, ou seja, introdução, desenvolvimento e considerações finais e é realizada individualmente pelo estudante. Como um trabalho que se submete aos padrões da pesquisa científica, a monografia respeita seus parâmetros e se desenvolve em três etapas:
  • formulação de um projeto de pesquisa;
  • sua execução na forma de investigação e
  • apresentação de seus resultados de maneira a ser julgada pela própria comunidade científica.
De acordo com a ANBT NBR 14724:2005 a estrutura de tese, dissertação ou de um trabalho acadêmico (TCC) compreende:
ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS
  • capa (obrigatório)
  • Lombada (opcional)
  • folha de rosto (obrigatório)
  • ficha catalográfica (obrigatório)
  • errata (opcional)
  • folha de aprovação (obrigatório)
  • dedicatória (opcional)
  • agradecimentos (opcional)
  • epígrafe (opcional)
  • resumo na língua vernácula (obrigatório, somente para Monografias, NÃO para o Trabalho de Conclusão de Curso)
  • resumo em língua estrangeira (obrigatório)
  • lista de ilustrações (opcional)
  • lista de tabelas (opcional)
  • lista de abreviaturas e siglas (opcional)
  • lista de símbolos (opcional)
  • sumário (obrigatório)
ELEMENTOS TEXTUAIS
  • introdução
  • referencial teórico
  • metodologia
  • resultados e discussão
  • considerações finais
ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS
  • referências (obrigatório)
  • glossário (opcional)
  • apêndice(s) (opcional)
  • anexo(s) (opcional)
  • índice(s) (opcional)
Destacaremos alguns itens para maior detalhamento:
Resumo
O Resumo é um convite à leitura da monografia e é apresentado em folha distinta, ressaltando o objetivo, o método, os resultados e as conclusões do documento. Sua composição deve obedecer a forma de frases concisas, em um parágrafo único. Na folha seguinte apresenta-se o mesmo texto em tradução para uma língua estrangeira de difusão internacional (FONSECA; BARBOSA; MELO, 2005).
Sumário
O Sumário relaciona os capítulos, seções, partes do trabalho, na ordem em que aparecem no texto, indicando suas subordinações, bem como as folhas em que se iniciam. O Sumário deve ser apresentado em folha distinta incluindo capítulos, seções, ou partes, escritos com o mesmo padrão gráfico empregado no texto. Cada capítulo, seção ou parte, deve apresentar os seguintes dados: a) indicativo numérico quando houver; b) título; c) número da folha inicial, ligado ao título por uma linha pontilhada (FONSECA; BARBOSA; MELO, 2005).
Introdução
A Introdução apresenta o trabalho como um prenúncio da forma que o tema será tratado. Mesmo sendo apresentada no início da monografia, deve ser redigida ao final da elaboração do trabalho, porque ela apresenta, de forma sucinta, toda a estrutura do trabalho. O texto da introdução normalmente contém cinco elementos básicos:
a) descrição do tema em estudo;
b) definição e delimitação do problema em estudo;
c) justificativa ou importância do estudo;
d) objetivo(s) do estudo;
e) plano ou organização do estudo (quantos capítulos e o que cada um contempla etc).
A descrição do tema deve ser apresentada no primeiro parágrafo da introdução. O desenvolvimento do texto da introdução tem por objetivo explicar porque o tema foi escolhido, sua relevância e exatamente o que se pretende analisar. O conteúdo da introdução deve mostrar:
  • a motivação para a pesquisa; quais experiências levaram à identificação do problema que se estudou.
  • a problematização; a pergunta que se responde através da pesquisa;
  • a justificativa: a importância e relevância do problema e de seu equacionamento;
  • os objetivos: o que se pretende alcançar com o estudo;

Referencial teórico
A parte do referencial teórico dá a sustentação ao assunto objeto da proposta da monografia. É dessa forma que o problema é identificado, delimitado e formulado. O referencial teórico pode estar disposto em mais de um capítulo, para amparar com clareza os tópicos abordados, relacionando teorias, conceitos e opiniões com a temática e as hipóteses apresentadas no trabalho.
Deve ser desenvolvido de forma que o leitor perceba a evolução do conteúdo, ou seja, deve apresentar uma lógica interna de distribuição, bem como validar as análises e considerações tecidas ao longo do texto.
Metodologia
Trata-se da focalização na delimitação do procedimento investigativo. Esta parte deve conter a explicação e fundamentação dos métodos a serem utilizados, a descrição da amostra, dos sujeitos e instrumentos, além de esclarecer como se procederam as escolhas dos elementos (equipamentos, questionários, roteiros etc..) da pesquisa, qualificando a abordagem e as análises realizadas, autenticando o trabalho e as considerações construídas no encerramento do estudo.
Resultados e discussão
Esse tópico deve apresentar, de forma precisa e clara, os resultados obtidos da análise dos dados e de sua interpretação. Os diversos resultados obtidos devem vir agrupados e ordenados convenientemente, podendo eventualmente ser acompanhados de tabelas, gráficos, quadros ou figuras com valores numéricos e/ou estatísticos, para maior clareza. Não há interpretações pessoais, apenas análise dos dados.
A discussão deve estar relacionada com o que foi observado durante a pesquisa e com as informações encontradas na revisão bibliográfica, procurando compreender as diferentes situações encontradas. Recomenda-se indicar as aplicações e limitações teóricas e práticas dos resultados obtidos e ressaltar aspectos que confirmem ou modifiquem, de modo significativo, as teorias estabelecidas, apresentando novas perspectivas para a continuidade da pesquisa (FONSECA; BARBOSA; MELO, 2005).

Nenhum comentário:

Postar um comentário